30/04/2013

Entrevista a Adelaide Valente, ex-funcionário do ISCAA

isca-ua
Adelaide Valente trabalhou 24 anos no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Aveiro (ISCAA). Terminou as suas funções no dia 31 de janeiro e, no dia 1 de fevereiro, iniciou a sua nova ocupação de avó, um trabalho também quase a tempo inteiro. Destes 24 anos leva muitas saudades e a experiência de alguém que desempenhou muitas funções na “casa”, mas que sempre tentou dar o seu melhor. Para o futuro do ISCAA não mudava nada porque considera que está tudo bem organizado.
 
Há quantos anos trabalha na UA e no ISCAA?
Trabalho na Universidade de Aveiro há 24 anos. Antes trabalhei 10 anos numa fábrica de refrigerantes em Estarreja. Estou no ISCAA, neste edifício, desde o início, desde a abertura da escola, ainda o edifício estava em acabamentos.
Quais foram as suas funções ao longo dos anos? Esteve sempre na receção?
Não. Comecei nas limpezas do edifício, mas sempre gostei do que fiz. Entretanto, alguns colegas começaram a ir embora, outros mudaram de categoria e de funções e há cerca de dois anos que estou na receção. Até essa data substituía os colegas que faltavam, ajudava onde era preciso, em todos os postos de trabalho.
Em que consiste atualmente o seu trabalho?
Consiste em atender os telefones, passar as chamadas, preparar salas para os exames (ver quais são as salas de exames, colocar o papel nas salas, etc), receber o correio e colocá-lo nos cacifos dos professores, entre outras tarefas.
Como caracteriza o seu relacionamento com alunos, docentes e não docentes?
O relacionamento com os alunos foi sempre bom, deixa-me saudades. Sempre tive um bom relacionamento com os alunos, professores e colegas. Tentei dar sempre o meu melhor.
Qual o balanço que faz destes 24 anos na UA?
Faço um balanço positivo. Gostei.
De que é que vai ter mais saudades?
Vou ter saudades de deixar o meu trabalho, das colegas… Gosto muito do ambiente desde que temos a professora Cristina Miranda como diretora. Mudou muito a nível do ambiente de trabalho…
O que aprendeu nos anos que passou aqui? Que experiências leva?
Levo boas experiências, boas recordações. Passei uns bons bocados. Vou com saudades. Resolvi pedir a reforma porque já tenho a idade para o fazer e porque tive um problema de saúde que exigiu internamento. Pedi a aposentação porque quis, com as mudanças que têm acontecido na Administração Pública… mas vou ter muitas saudades.
Como vê a evolução da UA ao longo dos anos que cá passou?
Da UA conheço muito pouco. Conheço melhor o ISCAA. Mas mudou muito na organização, no tratamento das questões de pessoal, na maneira de pedir para se fazer um trabalho em concreto. Mudou tudo muito. Agora temos menos alunos, mas quando entrei aqui, Deus me livre! Nem podíamos passar nos corredores com tantos alunos…
Pode partilhar connosco alguma ideia para que o ISCAA continue a ser uma instituição de referência?
Não mudava nada, acho que está tudo bem organizado.
Quais são os seus planos para o futuro?
No meu tempo livre vou tomar conta de dois netos: uma menina com cinco meses e o irmão com oito anos. Não quero parar, quero o meu cérebro sempre a trabalhar.
Adelaide Resende de Oliveira Russo Valente nasceu a 29 de dezembro de 1948 em Salreu, Estarreja. Entrou para a Universidade de Aveiro através do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Aveiro a 1 de janeiro de 1989, onde permaneceu até pedir a aposentação.

fonte:uaonline.ua.pt