17/03/2015

Abertos estágios para diplomacia económica e política comercial até dia 20 de Março


 
As candidaturas ao Programa de Estágios Profissionais no Ministério dos Negócios Estrangeiros decorrem até dia 20 de março. Existem 130 vagas para três áreas de estágio.

Está a decorrer o período de candidaturas ao Programa de Estágios Profissionais na Administração Central específico para o Ministério dos Negócios Estrangeiros, denominado PEPAC-MNE, inserido no âmbito da iniciativa Garantia Jovem, o qual será financiado por fundos comunitários em 96% e por fundos nacionais em 4%.

Assim, e até ao dia 20 de março, os interessados poderão habilitar-se a 130 vagas, distribuídas pelas áreas de diplomacia económica, política comercial e diplomacia política e apoio consular. Cada candidato só pode concorrer a uma única área de estágio.

Os estágios têm a duração de 12 meses, com início a 1 de setembro deste ano, e realizam-se nos serviços periféricos externos do MNE, isto é, nas embaixadas, consulados e missões e representações permanentes.

Para além da valorização profissional dos jovens, pretende-se ainda, com este programa, potenciar o desenvolvimento de atividades profissionais inovadoras, de novas formações e novas competências profissionais em contexto internacional.

As candidaturas destinam-se a jovens licenciados à procura do primeiro emprego, desempregados à procura de novo emprego ou jovens à procura de emprego correspondente à sua área de formação e nível de qualificação, com idade até 30 anos, ou até 35 anos no caso de ser portador de deficiência com grau de incapacidade igual ou superior a 60%.

As candidaturas à frequência destes estágios serão apresentadas exclusivamente através de preenchimento de formulário de candidatura online, em breve disponível no sítio da internet do PEPAC-MNE.

Será paga aos estagiários uma bolsa mensal em função do país onde o estágio se desenvolve, no montante correspondente à tabela anexa à Portaria n.º 259/2014, de 15 de dezembro, por referência ao IAS (Indexante de Apoios Sociais), e um subsídio de refeição, no montante praticado para a generalidade dos trabalhadores que exercem funções públicas.

Fonte: http://www.revistainvest.pt/pt/Abertos-estagios-para-diplomacia-economica-e-politica-comercial/A1087